Charles Darwin eo Método Científico

Sem querer desmerecer o trabalho dos evolucionistas modernos e as suas considerações e análises bem fundamentadas a respeito da Teoria da Evolução, não podemos prescindir do legado de Charles Darwin para a biologia atual. A forma metódica e o raciocínio científico de Darwin em relação ao mecanismo evolutivo servem como exemplo de como a ciência é construída passo a passo e não resulta de descobertas mirabolantes processadas instantaneamente. Neste particular, leiam o que publiquei no blog Biorritmo sobre Charles Darwin e o método científico:
“Na visão popular, os avanços científicos são produto da genialidade de homens, que, por meio de insights, concebem idéias com força para abalar as estruturas do conhecimento. Na realidade, a ciência é fruto de dedicação e de um longo percurso de pesquisa. Nessa área é preciso seguir um método, ou seja, regras básicas que norteiam a investigação científica: problematização, observação, investigação, pesquisa em diversas fontes, registro durante o percurso e conclusão.
Dotado de grande capacidade de observação e de registros, apoiado nas pesquisas científicas mais recentes e tendo contato com especialistas de diversas áreas, Darwin conseguiu desenvolver a Teoria da Evolução seguindo estas 5 etapas indispensáveis- e que estão presentes até hoje no ensino de Ciências.
Em 1831, aos 22 anos e recém-formado, Darwin foi convidado a participar de uma expedição patrocinada pelo governo inglês até os trópicos, como acompanhante do comandante do navio HMS Beagle. Durante os 5 anos da aventura, ele pôde observar, pesquisar e refletir sobre a diversidade da vida. Nas 20 paradas do navio, pelos 4 continentes em que aportou, ele realizou experimentos, coletou fósseis, espécimes vivos de animais e vegetais, fez centenas de registros por meio de desenhos e anotações, respondeu a dezenas de perguntas e trocou correspondências e opiniões com diversos estudiosos ingleses.
Foi Darwin que deu consistência necessária á Teoria da Evolução, cujo fundador foi o francês Jean Baptiste de Lamarck (1744-1829). Para não deixar furos no estudo, Darwin seguiu à risca os procedimentos de pesquisa, tendo o cuidado de unir o maior número de provas e de checar cada ponto abordado com as autoridades científicas mais respeitadas da época. Tanto zelo e preocupação fez com que publicasse a teoria mais de duas décadas depois, em 1859, com o poético título Sobre a Origem das espécies por Meio da Seleção Natural ou a Preservação das Raças Favorecidas na Luta pela Vida.
Segundo a teoria de Darwin, tanto os organismos vivos como os que encontrou fossilizados se originavam de um ancestral comum e se transformavam ao longo do tempo. Semelhante a uma bactéria, esse primeiro ser vivo sofreu modificações até gerar toda variedade de animais e plantas do planeta, seguindo um padrão evolutivo (que permanece ativo). Assim, o homem deixou de ser visto como um animal especial e mais evoluído para ser encarado como mais um ramo da grande árvore da vida.”

Leia também

Nenhum comentário até o momento

  • Rodrigo Véras 14 de janeiro de 2014  

    Última resposta: Parte VI:

    Nunca foi provado que passarinhos descendem de dinossauros terrestres. Isso é mais uma balela anti-científica dos fundamentalistas darwinistas para blindar o dogma mitológico darwiniano.

    Você fala de ‘provas’, mas este termo é inadequado ao lidarmos com ciências em que as evidências é que são o diferencial na balança e evidências existem aos montes de que passarinhos são dinossauros terópodes descendentes de dinossauros terópodes não avianos.

    PADIAN, K. and CHIAPPE, L. M. (1998), The origin and early evolution of birds. Biological Reviews, 73: 1–42. doi: 10.1111/j.1469-185X.1997.tb00024.x

    http://www.nhm.ac.uk/nature-online/life/dinosaurs-other-extinct-creatures/dino-birds/dinobirds.html

    http://www.nhm.ac.uk/nature-online/life/dinosaurs-other-extinct-creatures/dino-birds/sortingtable.html

    http://faculty.cns.uni.edu/~groves/PadianandChiappe0001.pdf

    http://www.bio.fsu.edu/erickson/references.php


    Mais uma vez, a ciência chuta essa mentira travestida de ciência.
    O badalado e suposto fóssil transicional archaeopteryx, é apenas uma ave terrestre – tipo nosso avestruz.

    Uma ave com dentes e uma cauda óssea. 🙂 Se nível de desinformação é impressionante e sua preferência por fontes ruins e não técnicas é bem típica dos criacionistas.

    “A análise, publicada na edição desta semana do periódico científico Nature, coloca o Archaeopteryx de volta à categoria de aves.”
    http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2013-0Desculparei o fato de você estar, claramente, fazendo uma projeção psicológica. Mas não conseguirei fazer isso por muito tempo. Devo avisar. Voltando a substância de seu comentário,: Descomunal é a falta de noção e conhecimento científico de pessoas como você que, mesmo, claramente, não sabendo do que estão falando, continuam a afirmar os maiores absurdos e dizer que eles são baseados em ciência. Como já disse, mas repito mais uma vez, temos evidências mais do que suficientes para aceitar estes eventos macroevolutivos estendidos no tempo e admirar sua beleza e significação [Para ficar bem claro: Aves são dinossauros terópodes, as evidências são enormes e claras, sendo o dissenso injustificável.]. Lacunas específicas sobre processos e padrões não refutam as evidências para o fenômeno em si.

    5-29/novo-estudo-restaura-archaeopteryx-ao-grupo-das-aves.html


    Claramente você não acompanha muito os desenvolvimentos das ciências e muito menos está familiarizado com e literatura científica primária e secundária, não é? O consenso entre os especialistas é gigantesco e a oposição (criacionista) é pura e simplesmente ideologicamente motivada, surgindo, principalmente, das fileiras de grupos religiosos específicos fundamentalistas e literalistas que opõem-se a evolução por que, para eles (vocês) este fenômeno não é compatível com sua leitura específica das escrituras e/ou por que veem na simples aceitação deste fenômeno algum tipo de consequência moral inescapável. As objeções não são baseadas em evidências científicas e nem em bons argumentos. São apenas falácias e distorções. Você com seus comentários não fez nada para mudar esta conclusão, apenas a reforçou ao usar e abusar do mesmo tipo de retórica e cometer o mesmo tipo de erros.


    É exatamente o que vcs fazem com sua religião ideológica pseudocientífica. Interessante é o que disse Huxley:
    Quando lhe foi perguntado pelo apresentador Merv Griffin “Por que as pessoas acreditam na evolução?”, Huxley o buldogue escudeiro de Darwin respondeu honestamente: “A razão pela qual aceitamos o darwinismo, mesmo sem provas, é que não queríamos que Deus interferisse em nossos hábitos sexuais”.
    Perceba que ele não citou as evidências a favor da geração espontânea ou as evidências do registro dos fósseis. A motivação que ele observou como prevalente entre os evolucionistas estava baseada nas preferências morais, e não na evidência científica.

    [Sarcasmo ativado] E citações apócrifas sem referências claras e fora de contexto são uma prova irrefutável, não é? Pobre Huxley!!

    Triste é a sua desonestidade intelectual em chamar de “evolução” os peixes guppies que simplesmente devido a fatores de risco se ADAPTARAM a novas situações; gerando meramente diferenciação no tamanho, na fecundidade e na coloração das escamas, mas porém, continuam os MESMOS e tão somente peixes guppies…
    O mesmo para esses lagartos que sempre foram, são, e sempre serão lagartos, inclusive são do mesmo Gênero Anolis ou seja, sem macro mudanças na escala taxonômica!

    Vc sabe o que desonestidade intelectual? Eu acho que não. Vc realmente acha que os criacionistas é que definem o que é evolução e não os cientistas? Isso é arrogância pura. E usar a velha alegação de que os ‘X continuam Xs’ só faz isso soar mais patético. Vc reparou que você poderia perfeitamente copiar e colar definições de livros-texto de biologia evolutiva e mostrar que eu estou errado e você está certo, mas você simplesmente afirma que evolução não é isso e pronto e nem se preocupa em defini-la. Isso sim é desonestidade intelectual.

    Vc que está fingindo e desviando do tema, que agora seria sobre a detecção de Deus pelos métodos científicos e não sobre as lacunas e falácias da TE.

    Fingindo o que? Agora você já está ficando incoerente. Tudo que disse é que uma ‘teoria’ que postula um agente para explicar as coisas mais não consegue trazer evidências independentes deste agente é uma piada e não uma teoria científica, especialmente se nesta teoria nada pode ser dito sobre COMO o agente teria feito o que fez. Pior, o agente é tido como ilimitado e perfeito. Tudo o que fiz foi deixar claro que o criacionismo, especialmente na forma do DI, é uma teoria cientificamente vazia e nisso muitos religiosos cientificamente e filosoficamente bem informados concordam.


    Mais uma vez, vc distorceu sobre o assunto tratado agora. Que seria sobre a necessidade de um Ser Supremo Sobrenatural Inteligente para originar o incrível universo e a complexa vida.

    Que necessidade? Quais os argumentos e evidências de que haveria tal necessidade, além de um falacioso e ineficaz argumento de ignorância, Cícero?


    Estudarmos os eventos extraordinários, singulares, especiais ou sobrenaturais não significa que possamos conhece-los completamente e nem saber sua causa pela falha e limitada metodologia convencional da ciência. No caso do fóssil, é bem mais fácil devido a repetição do evento em sistemas biológicos.

    Desculpe, mas este último trecho não faz sentido. Se os fósseis são descobertas ‘repetíveis’, como você parece assentir, qual o problema. Eles são uma clara evidência da evolução e coerentes com os métodos científicos.


    Mas muitos conceitos e teorias na ciência não são testáveis empiricamente. Ficam no campo ideológico, especulativo e suposições teorizadas como os multiversos, teoria das cordas, bolha, plasma etc. Assim, até nós podemos fazer melhor que o Hawking!
    Os físicos admitem que as Leis da Física se anulam na singularidade de um buraco negro. E a mecânica quântica e a relatividade de Einstein ainda estão em debate, assim como o comportamento da luz e da matéria e anti-matéria, ou a energia e matéria escura que todo mundo fala mas ninguém sabe o que é!

    E o que isso tem a ver com nossa discussão?


    O criacionismo não é contra a ciência ou a biologia; ele é apenas a opção mais sensata, coerente e racional para explicar o surgimento dos sistemas biológicos, em virtude dos seguintes fatores:
    -A complexidade especificada e a complexidade irredutível são indicadores ou marcas seguras de design nos sistemas biológicos e empregam subsistemas de complexidade irredutível interdependentes.
    -Os mecanismos naturalistas ou causas não-dirigidas não-ordenadas e randômicas não são suficientes para explicar a origem da complexidade especificada ou da complexidade irredutível.
    -Várias estruturas irredutivelmente complexas são compostas de elementos harmônicos e interativos nos seres que contribuem para o funcionamento do todo, de forma que a remoção de qualquer das partes fa
    z com que ele cesse de funcionar.

    Tudo isso já foi refutado. São objeções sem força e que dependem de distorção e caricaturização das evidências científicas e do campo da biologia evolutiva. Além do mais argumentos negativos não conseguem de maneira direta e simples serem transpostos para apoiar uma tese positiva, no caso a de que Deus criou tudo por mágica em um ato sobrenatural ou por meio de várias intervenções milagrosas. Isso é pseudociência.


    Que cientistas? Os criacionistas membros do ID? Falácia de argumentação por asserção e apelo a autoridades (vagas e não especificadas). Além disso, você mistura questões sobre a origem do universo (que nada tem a ver com este post e nem com este site) e o argumento do ajuste fino que só tem lugar em discussões de metafísica e filosofia da religião.


    Um exemplo é o cérebro humano. O próprio Carl Sagan disse:
    “a neuroquímica do cérebro é surpreendentemente ativa, o circuito da máquina mais maravilhosa que qualquer outra inventada pelo homem” (Cosmos p.278).
    Mas nega que o cérebro humano com mais de 20 milhões de informações e conexões precise de um criador inteligente. Admite que uma mensagem ou sinal curto do espaço implique um ser inteligente como fonte. Ora se uma simples mensagem do espaço requer uma causa inteligente, imagine mais de 20 milhões de informações; sendo o cérebro; muitissimo melhor e mais rápido e sofisticado que qualquer computador CRIADO pelo homem.

    Este é mais um pseudoargumento, Cícero. Vc só repetes as mesmas coisas e não reflete sobre elas. Isso é patético.


    Simplesmente por que temos experiência em primeira mão com o tipo específico de design, com as técnicas dos designers, com suas motivações e objetivos e com os próprios designer, nós mesmos. Estes exemplos de design humano são sem sentido para o tópico que você discute por que eles são completamente naturais e familiares. A mera analogia superficial não é suficiente para tornar o argumento dos criacionistas sério e muito menos cogente.


    É uma questão simples: tudo tende ao caos, à desordem, à inutilidade, ao desgaste pela entropia.

    O velho e equivocado argumento da segunda lei. Leia os links sobre auto-organização e os post sobre este argumento, aqui mesmo no evolucionismo:

    http://evolucionismo.org/profiles/blogs/termodinamica-e-evolucao-o

    http://evolucionismo.org/profiles/blogs/caos-complexidade-e-evolucao

    http://evolucionismo.org/profiles/blogs/termodinamica-e-evolucao-o

    http://evolucionismo.org/profiles/blogs/caos-complexidade-e-evolucao

    http://evolucionismo.org/profiles/blogs/darwin-e-boltzmann-a-ligacaohttp://evolucionismo.org/profiles/blogs/darwin-e-boltzmann-a-ligacao

    Schreiber, A., & Gimbel, S. (2010). Evolution and the Second Law of Thermodynamics: Effectively Communicating to Non-technicians Evolution: Education and Outreach, 3 (1), 99-106 DOI: 10.1007/s12052-009-0195-3

    Bunn, E. (2009). Evolution and the second law of thermodynamics American Journal of Physics, 77 (10) DOI: 10.1119/1.3119513

    Styer, D. (2008). Entropy and evolution American Journal of Physics, 76 (11) DOI: 10.1119/1.2973046


    Mas observe tudo em nossa volta: organismos que limpam o ar, o mecanismo de reciclagem natural da água, as estrelas nascendo, formando novos compostos necessários para a química. Resumindo, tudo na “natureza” é auto sustentável, projetado de forma muito superior às tecnologias humanas (consideradas inteligentes) que consomem os recursos até o fim. Vemos projeto, ordem e design na natureza.
    Todas as regulagens das forças elementares da física demonstram inteligência muito superior à humana.


    Tudo exibe design, complexidade, inteligência, beleza e organização.

    Não. Várias coisas exibem funcionalidade (portanto, nestes casos, ‘design’ apenas neste sentido metafórico estrito), mas conhecemos processos naturais que conseguem produzir tanto a complexidade, como este tipo de ajuste funcional, a auto-organização e os processos e mecanismos evolutivos, como mutação, deriva e seleção são alguns deles. E, de novo, você nestes não tem qualquer argumento ou evidência contra a evolução, apenas mostra sua confusão intelectual sobre este tema. Além do mais o tipo de design inteligente que realmente temos acesso e familiaridade, o nosso e de outros animais, muitas vezes é muito diferente do que vemos nos seres vivos e, mesmo assim, são dependentes de tentativa e erro e tem várias limitações. Sem mencionar que é perpetrado por maneiras naturais e que são circunscritas pelas leis da física e a oferta de materiais e a oportunidade. Esta analogia (do DI) é portanto pobre e equivocada.

    http://ncse.com/rncse/23/5-6/what-design-looks-like

    Além disso, dê um olhada nas referências que fornecia na outra parte da resposta sobre os problemas com o argumento do DI, especialmente os artigos de Sober, Pennock e Boudry.

    O que naturalmente requer uma Causa Inteligente. Atribuir tal organização a entidades não inteligentes, aleatórias, inanimadas, incognisciveis é um assassinato da lógica e da razão.

    Cícero, você já mostrou que não sabe o que são falácias e não parece ter qualquer conhecimento ou pelo menos respeito de lógica. O seu argumento do design não é um argumento lógico dedutivo, ele é um argumento por analogia, mas extremamente falacioso e desinformado. Não invente!

    Um engenheiro ainda tem ação, domínio, intervenção e manutenção no carro que construiu; e este sente seus efeitos.

    Um engenheiro é um ser humanos que constrói as coisas de maneira limitada e por métodos naturais que são circunscritos pela leis da física, a oferta de materiais, a oportunidade e por uma série de fatores contingentes. Tudo muito natural e diferente do que suspeitaríamos estar envolvido em um Designer sobrenatural. Além disso, temos experiência direto como engenheiros, como eu disse eles são pessoas, como nós. Um deles é meu pai. Podemos vê-los trabalhando, compreender as técnicas que usam e os conhecimentos que tem. Podemos, nós mesmos, estudarmos e tornamo-nos nós próprios engenheiros. Nada disso podemos dizer sobre Deus e as discussões sobre se ele existe ou não ultrapassam as ciências e deveriam continuar fora dela. Sua analogia, portanto, cais por terra!!

    Não tenho fé suficiente como vós; para crer que do LIMO surgiram amebas (já um ser altamente complexo!) e depois por forças cegas do acaso e sorte ininteligíveis um dia em certo tempo, viraram girafas, camelos e GENTE!!

    Pelo jeito tem fé suficiente para que ela lhe turve o senso crítico e o faça equivocar-se sobre tanta coisa sobre a qual você deu várias mostras que pouco ou nada sabe. Essa atitude arrogante é que me incomoda nos criacionistas. Mesmo não fazendo ideia do que atacam, mesmo assim o fazem e se regozijam disso. Ignora explicações, não fornece fontes confiáveis e vomita falácia atrás de falácia. Está discussão já não tem mais qualquer propósito e está encerrada aqui. Qualquer coisa que você escrever sobre o tema será deletada, a menos que você traga realmente argumentos cogentes e referências científicas não distorcidas. Este tipo de coisa me toma um tempo que me faz falta.

    Abraços, saudações e um ótimo 2014.

    Adeus,

Deixe um comentário