Para acessar os artigos relatando e analisando a descoberta de 1500 fósseis, encontrados em um sistema de caverna sul africano e atribuídos a nova espécie humana, Homo naledi, veja aqui e aqui.

Um espaço para agregar ciência e filosofia sobre evolução biológica. Contribua!

"Num estudo sobre amibas (Amoeba proteus), estas foram contaminadas por uma bactéria que lhes era letal.

Apenas um pequeno número sobreviveu. Cultivados os descendentes ao fim de algum tempo (200 gerações, 18 meses), desenvolviam-se normalmente .

O simbionte bacteriano ficou encerrado em vesículas de diferentes tamanhos.

A bactéria liberta grandes quantidades de proteinas o que previne que lisossomas se liguem às vesículas (simbiossomas), protegendo a bactéria.

A ameba infectada cresce mais rapidamente mas é mais sensível à desidratação.

O núcleo da ameba simbionte é não só incompatível com a linhagem sem simbionte, como lhe é letal.

Constatou-se que a simbiose se mantinha e que quando se eliminava por antibiótico o simbionte bacteriano a amiba morria.

Estávamos perante um fenómeno de especiação e um óptimo modelo para estudar a evolução de associações simbióticas."

in: http://evolution.berkeley.edu/evolibrary/article/endosymbiosis_01

http://www.gate.net/~rwms/EvoEndosymbiotOrigins.html

Exibições: 340

Responder esta

© 2017   Criado por Eli Vieira.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço