Para ler o manifesto manifesto da Sociedade Brasileira de Paleontologia sobre a validade da Evolução Biológica e seu ensino nas escolas do país clique aqui

Um espaço para agregar ciência e filosofia sobre evolução biológica. Contribua!

Cientistas criacionistas: quantos são?

Fonte: Phylointelligence

Tradução e adaptação: Eli Vieira

Pontos-chave:

  • Somente 0,84% dos cientistas que estudam a vida e a Terra, que são geralmente treinados nas questões das origens, são criacionistas.
  • Os EUA têm mais criacionistas do que qualquer outro país desenvolvido. Entretanto, mesmo nos EUA, os criacionistas representam uma minoria pífia entre os cientistas. Fora dos EUA, os cientistas criacionistas são virtualmente inexistentes em países de pesquisa de ponta.
  • 97% de todos os cientistas norteamericanos aceitam a ancestralidade comum das espécies incluindo o homem, enquanto apenas 2% são criacionistas, e apenas 8% defendem o criacionismo do tipo Design Inteligente.
  • A famosa entidade criacionista Discovery Institute compilou uma lista de menos que 800 supostos cientistas ao redor do mundo que "discordam do darwinismo". Isto é menos que 0,1% do número de cientistas americanos no ano de 1999.

 

Dados Estatísticos

 

De acordo com uma publicação de 2009 do Pew Research Center, 97% dos cientistas dos EUA aceitam que os humanos evoluíram ao longo do tempo. Apenas 2% dos cientistas relataram ser criacionistas, e apenas 8% alegaram ser defensores do Design Inteligente (D.I.). Note que não há razão em particular para um cientista criacionista mentir a este respeito; os resultados individuais não foram, obviamente, publicados, e os criacionistas tiveram um forte incentivo para dizer a verdade em tais pesquisas para aumentar sua publicidade. Portanto, este número pode ser visto como uma boa estimativa do número de cientistas criacionistas.

 

Obviamente, esses números incluem cientistas de várias áreas que têm [a priori] pouca relevância quanto à origem das espécies e da vida, incluindo químicos, astrônomos, médicos, etc.; embora esses cientistas possam ser extremamente sábios em seus próprios campos de pesquisa, ele jamais tiveram que passar por estudos aprofundados no campo das origens. Assim, eles podem não estar naturalmente ou justamente atualizados sobre a ciência da biologia evolutiva.

 

Estimando o número de cientistas criacionistas e pró-D.I. nas ciências da vida e da Terra


Entre os cientistas em áreas de fato relevatnes para o assunto, como as ciências da vida e da Terra, o número de criacionistas decresce ainda mais. Na lista de cientistas criacionistas do site Answers in Genesis,os cientistas da vida e da Terra se somam em 42% (80 em 190. Note que existem muito mais de 10 milhões de cientistas apenas nos EUA). Se aplicarmos esta proporição à estatística acima, apenas cerca de 0,84% dos cientistas da vida e da Terra são criacionistas. Além disso, assumindo a mesma proporção, apenas cerca de 2,24% (o,42 x 5,33) dos cientistas da vida e da Terra são defensores do Design Inteligente.


Estimando o número de cientistas criacionistas e pró-D.I. no mundo


A ampla maioria dos cientistas no mundo desenvolvido estão nos EUA (Miller 2006). Se aceitarmos uma estimativa extremamente conservadora de que os cientistas criacionistas são 1,5 vezes menos comuns em outros países, então a porcentagem dos cientistas criacionistas no resto do mundo desenvolvido é de 1,33%. Se o mesmo é verdade para cientistas pró-D.I., então apenas cerca de 5,33% dos cientistas no mundo desenvolvido aceitam o D.I.


A lista de "cientistas da criação" do Answers in Genesis

A organização criacionista AnswersInGenesis juntou uma lista fraca de "cientistas da Criação". Apenas cerca de 80 dos 190 cientistas na lista, em janeiro de 2010, estavam envolvidos em ciências da vida e da Terra. Considerando que há bem mais de 839.000 cientistas com doutorado apenas nos EUA (NSF 1999), os cientistas do AnswersInGenesis dão bem menos que 0,02% dos cientistas dos EUA (considerando que as últimas estatísticas disponíveis são de 1999, e que o número de cientistas desde então certamente cresceu; além disso note que a lista do AiG é internacional, enquanto o número "total" é apenas o número de cientistas nos EUA).

 

Note que a existência de alguns poucos criacionistas com títulos acadêmicos em ciências é completamente concebível; seria relativamente fácil para uma pessoa fundamentalista passar em cursos de pós-graduação sem ter uma formação séria em evolução, ou fazendo um curso ao mesmo tempo em que nega a ciência apresentada nele.


A lista de "dissensão científica do darwinismo" do Discovery Institute

Em 2001, a entidade criacionista Discovery Institute publicou uma lista de cientistas que assinaram a seguinte declaração oficial:

“Somos céticos quanto às alegações pela habilidade da mutação aleatória e da seleção natural darem conta da complexidade da vida. Um exame cuidadoso das evidências pela teoria de Darwin deve ser encorajado.”

A lista cresceu até aproximadamente 800 cientistas. O fato mais importante para botar esta lista em perspectiva, é claro, é de que ela foi assinada por menos de 0,1% dos cientistas e engenheiros nos EUA.

 

1. A declaração é formulada de forma esperta para fazer cientistas que aceitam a evolução terem mais chance de assiná-la.

Note que a declaração não requer que o assinante negue a evolução; muitos cientistas que aceitam a evolução concordariam que a mutação aleatória e a seleção natural provavelmente não são os únicos fatores naturais que contribuem para a complexidade da vida; eles são simplesmente os fatores primários.


2. Um grande número de cientistas na lista não trabalham em ciências físicas ou biológicas.

Enquanto o grande número de cientistas na lista que não trabalham em áreas relacionadas à evolução possam ser considerados especialistas em suas próprias áreas, é importante lembrar que eles provavelmente jamais tiveram cursos básicos em nível de pós-graduação em biologia evolutiva, ou talvez mesmo em biologia geral, e assim é provável que não conheçam a maior parte da ciência por trás da evolução.


3. Os cientistas da lista são uma minoria extrema do número total de cientistas.

Dos mais de 839.000 cientistas apenas nos EUA, estes 800 constituem cerca de 0,1% de todos os cientistas e engenheiros com doutorado. Note que a lista do D.I. é internacional; embora nenhuma estatística apropriada exista para o número de cientistas no mundo todo. Assim, embora a porcentagem correta de cientistas criacionistas ou pró-D.I não possa ser calculada com certeza, o número certamente está abaixo de 0,1%, e considerando que o criacionismo é de longe mais prevalente nos EUA, é provável que este número seja menor que 0,01%.

Fontes


Pew Research Center, 2009. Scientific Achievements Less Prominent Than a Decade Ago.
http://people-press.org/reports/pdf/528.pdf

The National Science Foundation, 1999. U.S. scientists and engineers, by detailed field and level of highest degree attained.
http://www.nsf.gov/statistics/us-workforce/1999/tables/TableB1.pdf

 

N. do T.: Há uma lista jocosa composta completamente por cientistas evolucionistas que se chamam Steve. Neste momento já se somam 1157 cientistas que se chamam Steve e aceitam a evolução.

Exibições: 4043

Tags: cientistas, criacionismo, darwinismo, design, dissensão, inteligente, lista

Comentar

Você precisa ser um membro de Evolucionismo para adicionar comentários!

Entrar em Evolucionismo

Comentário de Wesley Conde em 7 junho 2014 às 16:06

Cientistas criacionistas ou pró DI é uma anacronismo epistemológico... :O

Comentário de Eli Vieira em 7 março 2011 às 9:46

Oi Marcos, eis o que diz a página 37 do relatório Pew linkado acima:

 

97% dos cientistas acreditam que humanos e outros seres vivos evoluíram com o tempo.

 

87% acreditam que os seres humanos e outros seres vivos evoluíram por processo naturais.

 

8% acreditam que os seres humanos e outros seres vivos evoluíram guiados por um ser supremo.

 

E 2% acreditam que os seres humanos e outros seres vivos existiam na presente forma no início dos tempos.

 

Logo, não é para fazer uma soma simples desses números, são quatro perguntas diferentes que os cientistas responderam.

 

Os números para o público estadunidense em geral para as mesmas posições acima são 61%, 32%, 22% e 31%. Logo, o fixismo só faz sucesso entre os leigos.

 

Abraço.

Comentário de Marcos David Muhlpointner em 6 março 2011 às 7:45

Acho que tem alguma coisa errada: "...97% dos cientistas dos EUA aceitam que os humanos evoluíram ao longo do tempo. Apenas 2% dos cientistas relataram ser criacionistas, e apenas 8% alegaram ser defensores do Design Inteligente (D.I.)." O resultado dá 107%!!!!!!!!!

 

Mas se compararmos com a probabilidade de ter surgido vida na Terra, que é muito menor, do que a quantidade de criacionistas e dos que aceitam o DI, é de se esperar que esses venham a ter tanto ou mais sucesso do que o surgimento da vida no planeta!

Comentário de Eli Vieira em 5 março 2011 às 12:57

Obrigado, caros.

 

Roberto, muito bom seu texto, já tinha lido e comentado.

 

Abraço.

Comentário de Roberto Berlinck em 4 março 2011 às 21:41

Caro Eli,

Muito boa sua atualização.

Fiz uma postagem sobre este assunto em 2009:

http://quiprona.wordpress.com/2009/08/23/design-inteligente/

 

abraços,

Roberto

Comentário de LUIZ SERGIO DADARIO em 3 março 2011 às 10:23
   Cientistas criacionistas no século XXI é decididamente algo que está além da minha capacidade de compreensão. Parabéns Eli por este post do tipo ¨... é sempre bom lembrar...¨, como disse o Rodrigo.Abraços.
Comentário de Rodrigo Véras em 1 março 2011 às 21:23

Hehehe!! Quando li a pergunta no form, eu realmente achei que se referisse aos 'biólogos evolutivos', não aos que aceitam a evolução. Pensei que o uso 'biólogos evolucionistas' fosse apenas imprecisão de leigo. Eu ia procurar pela proporção de biólogos evolutivos. :) Ingenuidade a minha.  Preciso deixar meu desconfiômetro mais sensível. Muito bom vc ter lembrado deste estudo. Parabéns.

 

Abraços,

 

Rodrigo

© 2014   Criado por Eli Vieira.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço