Para acessar os artigos relatando e analisando a descoberta de 1500 fósseis, encontrados em um sistema de caverna sul africano e atribuídos a nova espécie humana, Homo naledi, veja aqui e aqui.

Um espaço para agregar ciência e filosofia sobre evolução biológica. Contribua!

Encontro de História e Filosofia da Biologia 2011

10 a 12 de agosto de 2011

Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Campus Bauru

Associação Brasileira de Filosofia e História da Biologia (ABFHiB)

Exibições: 211

Responder esta

Respostas a este tópico

Arthur, você pode usar também o campo "eventos" para divulgar.

Abraço

Ok, obrigado!

Desculpe, só agora vejo seu forum, e em 8 anos, muita água passa debaixo da ponte. Como de fato não expôs sua ideia, a questão da Filosofia da biologia (ou Biofilosofia) se isso quer dizer alguma coisa, do meu ponto de vista, se trata de alguns doutores pardais estabelecerem "teorias acadêmcias" para fazerem "adeptos", como qualquer religião, diga-se de passagem.

Os grandes enigmas da tal filosofia parecem ser (Wikipedia), que aliás são da própria ciência, continuam sendo: 

  • "O que é vida?"
  • "O que faz um ser humano único?"
  • "Quais são as bases do pensamento moral?"
  • "Quais são os fatores que utilizamos para o julgamento estética?"
  • "É a evolução compatível com o Cristianismo ou outros sistemas religiosos?

Claro que o evolucionista fanático quer encontrar a Vida nos atributos da Matéria, e todas respostas acima estão "fora da matéria", daí a grande dificuldade.

Talvez não podemos "saber" o que seja a Vida, MAS PODEMOS ENTENDER. O que acontece na morte? O MESMO ORGANISMO É VIVO ANTES, E MORTO DEPOIS! O que acontece? ALGO DEIXA A MATÉRIA DO ORGANISMO, qualquer aluno de primário pode entender isso, que os grandes cientistas evolucionistas insistem em não querer entender. É um problema da crença de cada um! E crenças não se discutem, é como torcida de futebol!

Respondida a primeira pergunta, o resto é mera consequência! arioba 

Todo e qualquer ser humano sabe reconhecer, obviamente, quando um animal está vivo ou morto. Em relação às plantas a situação muda de figura, pois as crianças geralmente não as consideram “seres vivos”. Existem vários tipos de conhecimentos como o filosófico, o religioso, o artístico, o científico, o senso comum ....todos são importantes e ocupam o seu espaço, felizmente a escola é laica, apesar de muitos profissionais da educação não respeitarem tal premissa e impregnarem sua prática pedagógica em decorrência da fé que professam. Devemos sim discutir o que é vida no interior das salas de aula sob o ponto de vista da ciência, que pode não ser uma maravilha em decorrência da transitoriedade das suas verdades, mas ainda não inventaram nada que a supere. A ciência detém o monopólio da verdade? Obviamente que não, mas goza de um prestígio na sociedade, que também deve ser questionado. A ciência erra muito? Sim !! Errar em ciência é completamente natural !! Na escola se ensina ciência e não religião, religião cada um tem a sua e sua discussão deve permanecer restrita aos seus ambientes idiossincrásicos. Podemos discutir vida e morte sob outros aspectos em sala de aula? Sim. A Biótica é um ótimo instrumento para essas discussões!! É inegável que a Biologia, como ciência com identidade própria tenha por foco estudar os sistemas vivos. As questões ligadas a origem da vida ou final dela, e a evolução, por exemplo, exigem um amplo trabalho de reflexão, o qual devido a sua amplitude e relevância não deve ser compreendido somente na esfera científica, mas também naquela outra caracterizada pela epistemologia. Ao lado da biologia experimental temos outra biologia a “teórica”  que tenta estabelecer definições claras e objetivas como, por exemplo, o que é vida.  A ideia de que uma definição de vida não tem muita relevância está, pois, relacionada a uma tendência “mais experimentalista”que tem marcado a Biologia nas últimas décadas, contudo esta ciência não se restringe à vida de laboratório, como em qualquer ciência, a construção de teorias é igualmente importante. Perdoe-me os criacionistas, mas a Biologia não faz sentido sem a evolução !!!

 

O que contesto caro Arthur é o aspecto dogmático tanto dos evolucionistas como criacionistas. Nenhum nem outro sequer definem de forma pelo menso consensual o que entendem por "ser-vivo", e a biologia pretende estudar o "ser-vivo", mas na realidade estuada apenas os organismos materiais enquanto vivos. Imagine o automóvel, SEM O MOTORISTA É UM MONTE DE FERRO A ENFERRUJAR, com o motorista, o conjunto forma um ser-vivo. O mecânico do automóvel não se preocupa com o motorista, o biólogo de certa age como se fosse apenas o "mecânico" do corpo orgânico. A "evolução" exposta por Darwin é apenas uma "percepção do que se vê", claro que o avanço do conhecimento do DNA, um dia a Árvore da Vida será muito parecida com a Tabele Periódica, porque deixa critérios subjetivos de observação, e usa critério fundamental de classificação. A discussão entre criacionistas e evolucionistas se torna nos moldes que são tratada, DISCUSSÃO DE SEXO DE ANJOS, não leva a nada, nem sequer definem o que discutem! ariovaldo.



Arthur Henrique Oliveira disse:

Todo e qualquer ser humano sabe reconhecer, obviamente, quando um animal está vivo ou morto. Em relação às plantas a situação muda de figura, pois as crianças geralmente não as consideram “seres vivos”. Existem vários tipos de conhecimentos como o filosófico, o religioso, o artístico, o científico, o senso comum ....todos são importantes e ocupam o seu espaço, felizmente a escola é laica, apesar de muitos profissionais da educação não respeitarem tal premissa e impregnarem sua prática pedagógica em decorrência da fé que professam. Devemos sim discutir o que é vida no interior das salas de aula sob o ponto de vista da ciência, que pode não ser uma maravilha em decorrência da transitoriedade das suas verdades, mas ainda não inventaram nada que a supere. A ciência detém o monopólio da verdade? Obviamente que não, mas goza de um prestígio na sociedade, que também deve ser questionado. A ciência erra muito? Sim !! Errar em ciência é completamente natural !! Na escola se ensina ciência e não religião, religião cada um tem a sua e sua discussão deve permanecer restrita aos seus ambientes idiossincrásicos. Podemos discutir vida e morte sob outros aspectos em sala de aula? Sim. A Biótica é um ótimo instrumento para essas discussões!! É inegável que a Biologia, como ciência com identidade própria tenha por foco estudar os sistemas vivos. As questões ligadas a origem da vida ou final dela, e a evolução, por exemplo, exigem um amplo trabalho de reflexão, o qual devido a sua amplitude e relevância não deve ser compreendido somente na esfera científica, mas também naquela outra caracterizada pela epistemologia. Ao lado da biologia experimental temos outra biologia a “teórica”  que tenta estabelecer definições claras e objetivas como, por exemplo, o que é vida.  A ideia de que uma definição de vida não tem muita relevância está, pois, relacionada a uma tendência “mais experimentalista”que tem marcado a Biologia nas últimas décadas, contudo esta ciência não se restringe à vida de laboratório, como em qualquer ciência, a construção de teorias é igualmente importante. Perdoe-me os criacionistas, mas a Biologia não faz sentido sem a evolução !!!

 

Responder à discussão

RSS

© 2018   Criado por Eli Vieira.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço